Vídeo mostra quem executou homem, ao lado de PMs, em Vitória do Mearim
Maranhão

Em nota oficial, SSP mentiu ao declarar que autor dos disparados teria se evadido do local e estaria sendo procurado pela polícia

O Atual7 mostra agora um vídeo que desmonta por completo a nota oficial emitida mais cedo pela Secretária de Segurança Pública do Maranhão, comandada pelo delegado Jefferson Portela.

Na gravação, um homem trajando um colete aparece como o autor dos dois disparos a queima roupa em um homem já caído no chão e aparentando estar desacordado, na frente de dezenas de populares, no município de Vitória do Mearim, no interior do Maranhão.

Diferente do que informou a SSP-MA, que mentiu oficialmente em nota ao declarar que a Polícia Militar estaria realizando diligências para prender o autor dos tiros, toda a ação bárbara foi acompanhada por uma guarnição da PM-MA, que ainda ajudou o executor a colocar a vítima dentro do camburão.

Assista abaixo:

Esquema entre ex-prefeito de Zé Doca e Gláucio Alencar envolveu merenda escolar
Política

Afirmação é do próprio Natim, em novo depoimento sobre agiotagem prestado à Justiça na última quarta-feira (27)

Foi por meio de contratos para fornecimento de merenda escolar que o ex-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato Sampaio, mais conhecido como Natim (PSC), pagou dívida de campanha ao agiota Gláucio Alencar Pontes Carvalho, acusado de ser um dos mandantes da morte do jornalista Décio Sá.

A confirmação foi feita pelo próprio Natim, em depoimento à 1ª Promotoria de Justiça da Comarca, na última quarta-feira (27), onde prestou informações no inquérito civil que apura sua participação na Máfia da Agiotagem no Maranhão.

Embora tenha negado o envolvimento no esquema criminoso, o ex-prefeito de Zé Doca confirmou que recebeu dinheiro de Gláucio Alencar para a sua campanha eleitoral, em 2008, no valor de R$ 100 mil, paga posteriormente em contratos fraudulentos para o fornecimento de merenda escolar para o município, pelo período de pouco mais de um ano.

O depoimento é o mesmo apresentado na Superintendência de Investigações Criminais (Seic), quando de sua prisão durante as operações "Morta Viva" e "Marajá", no início de maio deste ano.

Na época da prisão de Natim, o atual prefeito de Zé Doca, Alberto Carvalho Gomes, o Dr Alberto (PTB), chegou a emitir nota afirmando que a negociata entre o ex-gestor e o agiota Gláucio Alencar escamoteou cerca de R$ 4,5 milhões da educação e da saúde do município.

Política

Parlamentar de oposição, Luciane Aguiar pode pegar até cinco anos de cadeia por fraudar programa federal

Uma vereadora do município maranhense de Trizidela do Vale, Luciane da Silva Correa Aguiar, do PPS, se acha muito inteligente ou pensa mesmo que a população da cidade e a Polícia Federal são bestas.

A vereadora Luciane Aguiar, de mãos abertas para o dinheiro do programa federal e dos cargos acumulados irregularmente
Reprodução Mulher biônica A vereadora Luciane Aguiar, de mãos abertas para o dinheiro do programa federal e dos cargos acumulados irregularmente

Parlamentar de primeiro mandato e - pasmem! - de oposição, Luciane acumula nada menos que três nomeações de professora, inclusive para o mesmo horário das sessões da Câmara de Vereadores, e teve ainda três filhos cadastrados, de 2002 à 2013, no programa federal Bolsa Família, destinado às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

Nomeada em 2008, após ser aprovada em um concurso público, Luciane Aguiar deveria ter excluído os seus filhos do benefício social, por não se encaixar mais no programa, porém não somente continuou a recebê-lo, como conseguiu ainda outras duas nomeações para o cargo de professora, um em Santo Antônio dos Lopes e outro em Pedreiras.

Mesmo com três empregos acumulados de forma irregular, e já como vereadora e 1ª secretária da Câmara de Vereadores de Trizidela do Vale, a oposicionista atualizava seus dados para o recebimento do Bolsa Família, sabe-se lá como, de forma fraudulenta.

A farra só acabou em 2013, após a Prefeitura de Trizidela do Vale detectar a mamata.

Mesmo descoberta, Luciane Aguiar ainda tentou continuar a embolsar o benefício destinado às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, alegando que quem recebia não era ela, mas o seu marido, com quem mora.

Pela fraude, o marido de Luciane pode pegar até cinco anos de cadeia. Por ser agente público, a pena da vereadora pode aumentar para até cinco anos.

Abaixo, cópias dos documentos que comprovam a ficha nada limpa da vereadora:

1º Portaria professor com data de 2008
2ª Portaria de cargo de professor de Santo Antônio dos Lopes 2010
3ª Portaria, uma relotação do municipio de Pedreiras, ela trabalha há anos
Relatório que comprova que os nomes da vereadora, do marido e dos três filhos no Programa

Política

Protegida de Marcos Pacheco, Aurilene Alencar também discutiu publicamente com chefe do setor jurídico da Secretaria de Saúde do Maranhão

Protegida de Pacheco já é apelidada pelos servidores de "Auridoida" devido aos constantes ataques
Facebook Auridoida Protegida de Pacheco já é apelidada pelos servidores de "Auridoida" devido aos constantes ataques

Servidores da Secretaria de Saúde do Maranhão denunciaram ao Atual7 a prática de assédio moral cometida pela assessora de Comunicação da pasta, Aurilene Alencar, contra uma servidora terceirizada, identificada apenas como Alana, e até contra o chefe do setor jurídico da SES, Heraldo Moreira.

De acordo com os relatos, depois de gritar e humilhar Alana, Aurilene mandou a segurança expulsar a servidora das dependências da sede da Secretaria estadual de Saúde. O caso teria ocorrido na última terça-feira (26),e revoltou os presentes.

Protegida do titular da pasta, o médico Marcos Pacheco, Aurilene Alencar já havia discutido dias antes com o chefe do setor jurídico da SES, o professor Heraldo Moreira.

A confusão teria ocorrido em um grupo de WhatsApp, após Moreira ter utilizado sua conta pessoal no microblogging Twitter para comentar um assunto pertinente à pasta.

Em tom agressivo, a assessora de Comunicação da SES alertou que cabe somente a ela dar declarações públicas sobre as ações da saúde pública estadual, e que o chefe do setor jurídico havia desrespeitado uma ordem dada por ela: nenhum servidor ou contrato pode usar as redes sociais, sem sua autorização expressa, para comentar sobre serviços e ações da Secretaria de Saúde.

A discussão, que durou cerca de meia hora, só parou após intervenção de Pacheco, que apenas pediu para Aurilene não utilizar o grupo de WhatsApp para isso, por receio de que fosse vazado algum print para a imprensa.

Sobrevivente de chacina em Panaquatira revela que bandidos já chegaram atirando
Política

Mais cedo, secretário de Segurança Pública do Maranhão apresentou outra versão ao caso, e culpou o policial Max Muller pelo tiroteio

Caiu vergonhosamente por terra - e passou a ser considerada mentirosa - a declaração acusatória do secretário de Segurança Pública do Maranhão, delegado Jefferson Portela, para justificar os motivos que levaram os criminosos, intitulados de "Piratas de Panaquatira", a provocar uma chacina, no último sábado (23), durante um assalto a uma casa de praia na orla de São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís.

Depoimento de um dos sobreviventes da chacina em Panaquatira revela que os bandidos já chegaram atirando na casa de...

Posted by Atual7 on Quarta, 27 de maio de 2015

Diferente da versão apresentada mais cedo por Portela, depoimento de um dos sobreviventes do assalto, que pode ser acessado na íntegra no vídeo ao lado, revelou que os seis bandidos que participaram da ação - que durou pelo menos 15 minutos -, já chegaram atirando ao anunciar o assalto na casa de veraneio.

"Os caras  chegaram do nada, acho que eram sete. Vieram três por um lado e resto pelo outro e os caras chegaram atirando. Eu fui o primeiro a ser atingido por um tiro na cabeça, me fingi de morto para não acabar sendo uma tragédia maior", revela.

Mesmo ferido e caído ao chão, o rapaz testemunhou todo o desenrolar da tragédia que chocou a população maranhense pela violência aplicada pelo bando, que só não foi pior, segundo a testemunha, por o policial militar Max Muller ter atirado e alvejado pelo menos três bandidos antes de ser morto.

"O policial  que estava presente, particularmente foi o herói. Ele atirou e acertou três bandidos que vinham por um lado, mas os outros que vinham por outra parte acertaram ele.  Ai ouvi o bandido dizendo que era para matar todo mundo. Foram uns 40 tiros mais ou menos. Só pararam de atirar quando acabou a munição disso não tenho dúvida", contou.

Ainda com a bala alojada na cabeça, o jovem não consegue esquecer o momento em que os amigos foram alvejados de forma covarde pelos criminosos. Com muita riqueza de detalhes, ele revelou o posicionamento de cada uma das vítimas no momento do ataque.

O sobrevivente disse ainda ter vivido "momentos horríveis", e admitiu ter achado que iria morrer ali. Para ele, a fé em Deus foi essencial para sair com vida daquele cenário de carnificina.

"Foram momentos horríveis porque eu tava deitado quieto, orando para Deus para ninguém vir atirar de novo em mim. E olhando essa situação e ouvindo barulho de tiros para todos os lados. Achei que ia morrer cara, que nunca mais ia ver minha família".

Política

Além dos buracos na entrada principal, os dois banheiros da unidade estão sem as postas

Além dos buracos na entrada na unidade, banheiros do Socorrinho I estão sem portas
WhatsApp Situação revoltante Além dos buracos na entrada na unidade, banheiros do Socorrinho I estão sem portas

O descaso da administração municipal de São Luís, comandada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior, do PTC, chegou ao cúmulo de abandonar não somente o atendimento médico, mas a própria da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cohatrac, o Socorrinho I.

Imagem enviada por WhatsApp ao Atual7 mostra um buraco e uma cratera na entrada principal da unidade, já na parte de dentro do estacionamento utilizado por ambulâncias e usuários do local.

Além da buraqueira - e da água suja acumulada na cratera - , a imagem revela ainda que os dois banheiros do Socorrinho I, que ficam na entrada principal da unidade, estão funcionando sem as portas.

Novas UPAs

Além do descaso com Socorrinho I, o prefeito de São Luís ainda não cumpriu com a promessa de construção de três novas UPAs na capital, feita ainda em janeiro de 2013, quando foi lançada a Agenda Estratégica dos 120 Dias, que previa ações e metas prioritárias para o início da gestão petecista.

Uma dessas unidades já deveria estar funcionando na Zona Rural de São Luís, que inclusive já recebeu a verba enviada pelo Governo Federal, mas nada saiu do papel após quase três anos de comando de Edivaldo Holanda Júnior no Executivo municipal.

Governo do MA quer obrigar PMs a andar desarmados em dias de folga
Política

Medida ainda não foi anunciada oficialmente, mas já vem sendo discutida abertamente pelo comando da corporação

O governador Flávio Dino, do PCdoB, estuda uma medida no mínimo perigosa para a população e, principalmente, para os policias militares do Maranhão - porém de grande alívio e comemoração para a crescente bandidagem que toma conta de todo o estado.

Ainda não anunciada oficialmente, a medida vem sendo discutida abertamente pelo comando da corporação e visa regulamentar procedimentos para acautelamento de arma de fogo pelos PMs, que podem ser obrigados a andar desarmados em seus dias de folga.

Embora a possibilidade do desarmamento dos militares tenha gerado fortes reações no meio policial, a decisão do governo comunista conta com total apoio do secretário de Estado da Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, que condenou a atitude do policial militar Max Muller, que agiu como um PM em um dia de folga, no último sábado (23), ao tentar evitar um assalto em uma casa alugada em Panaquatira, mas não conseguiu evitar a chacina que terminou com a morte de cinco pessoas, entre elas o próprio militar.

Para o titular da SSP-MA, que é civil e saiu do conforto do ar-condicionado de seu gabinete apenas para fazer campanha para a irmã à Reitoria da UFMA, foi a ação de Muller contra os criminosos que deu início ao tiroteio que culminou com as mortes no local.

Política

Irmã do secretário de Segurança do Maranhão é uma das candidatas à Reitoria da UFMA

A campanha de sua irmã, Nair Portela Silva Coutinho, ao cargo de novo reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) para o quadriênio 2015-2019, foi a principal preocupação e ocupação do secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, delegado Jefferson Portela, na data em que seis bandidos cercaram, invadiram e provocaram uma chacina em uma casa de praia em Panaquatira, orla de São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís, que terminou com a morte de cinco pessoas, entre elas um soldado da Policia Militar.

Secretário de Segurança Pública do Maranhão, livre, leve e solto na campanha da irmã à Reitoria da UFMA
Facebook Os bandidos também... Secretário de Segurança Pública do Maranhão, livre, leve e solto na campanha da irmã à Reitoria da UFMA

O descaso foi revelado por meio de uma publicação em uma rede social, no último sábado (23), feita na página do próprio secretário de Segurança.

De acordo com a publicação, Portela foi um dos participantes de um café da manhã promovido pelo vereador Honorato Fernandes, do PT, em apoio à irmã do secretário e seu candidato a vice-reitor da UFMA, professor Fernando Carvalho.

Enquanto a quadrilha "Piratas de Panaquatira" se articulavam para a ação criminosa - segundo parte de uma declaração infeliz do próprio Jefferson Portela, os bandidos são responsáveis pelos constantes assaltos na área - o secretário de Segurança encontrou tempo até mesmo para aguardar a sua vez de discursar em prol da campanha da irmã ao comando da universidade federal maranhense.

 

Chacina em Panaquatira: Jefferson Portela culpa PM por ter agido como PM
Política

Secretário de Segurança do Maranhão declarou em entrevista que confronto com bandidos poderia ter sido evitado pelo policial militar Max Muller

Em declaração infeliz a um site local, o secretário de Segurança Pública do Maranhão, delegado Jefferson Portela, acabou culpando o soldado do 6º Batalhão da Policia Militar, Max Muller Rodrigues de Carvalho, pela chacina ocorrida na noite do último sábado (23), em Panaquatira, orla de São José de Ribamar, na região metropolitana de São Luís.

Participante de uma festa que ocorria em uma casa de praia, Muller morreu após, como um bom policial, tentar evitar um assalto ao local. Além dele, outras quatro pessoas, entre elas um dos bandidos, também morreram. Para o secretário de Segurança, porém, a troca de tiros entre o PM e os bandidos poderia ter sido evitada caso o policial militar não tivesse agido conforme ele foi instruído e fez juramento: ser um policial militar.

“Nós devemos sempre, como agentes públicos de segurança, evitar o confronto onde a gente não possa ter uma garantia de supremacia da força estatal sobre a força marginal. A orientação é essa, a reação da gente deve ser pautada na possibilidade de domínio e não numa possibilidade de risco. Se for de risco, o certo é evitar, deixar para fazer a perseguição policial e captura depois”, defendeu Portela, que nesses cinco meses no comando da SSP-MA, não saiu uma única vez do ar-condicionado de seu gabinete para enfrentar a criminalidade.

Ainda durante a entrevista, Jefferson Portela acabou revelando uma falha de conivência ou incompetência da Segurança Pública do Estado, que lembra muito o resgate cinematográfico de quatro presos em Pedrinhas: a [Inteligência da] polícia já vinha monitorando as ações da quadrilha que invadiu a casa de praia, mas mesmo assim não conseguiu evitar a tragédia.

“Nós já vínhamos desenvolvendo ações na parte de cada praia devido à ação deles. Agora, em outro extremo, eles foram à Ponta Verde e cometeram essa barbárie, essa chacina. Estou me manifestando como cidadão e como chefe do sistema de segurança do Maranhão: a liberdade deles põe em risco a vida de pessoas, o que devemos impedir”, disse.

Para Coronel Melo, política salarial de Dino é humilhante, debochada e repressora
Política

Ex-comandante da PM-MA também lembra o governador do Maranhão que ele está descumprindo as promessas de campanha de 2010 e de 2014

O coronel da reserva, Francisco Melo da Silva, ex-comandante da Polícia Militar do Estado do Maranhão, fez um desabafo por meio de um blog pessoal, sobre a política salarial adotada pelo governador Flávio Dino, do PCdoB, para os policiais e bombeiros militares do estado.

Em um dos trechos, Melo afirma que, além de injusta e desigual, a política salarial do governo comunista é humilhante, imoral, debochada e repressora, e alerta que nunca viu, na história da Polícia Militar do Maranhão, um governador tratar a PM e os Bombeiros com "tanta desigualdade e indiferença".

No desabafo, o ex-comandante da PM-MA também lembra o governador que ele está descumprindo as promessas de campanha de 2010 e de 2014. "Esqueceu o que falou? Nós não esquecemos", detona.

Abaixo, a íntegra do desabafo do Coronel Melo, que inclusive é um dos corresponsável pela vitória de Dino nas urnas nas eleições de outubro de 2014.

SUBSÍDO PARA OS POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES

No dia 23 de abril deste ano, o governador Flávio Dino, enviou para a Assembleia Legislativa, a Medida Provisória número 148, com as propostas de reposição salarial, aos Policiais e Bombeiros Militares do Maranhão, para ser cumprida durante 4 (quatro) anos. Ficando assim, a partir de maio de 2015, o subsídio do soldado vai de 2.708,39, para 3.237,57; a partir de maio de 2016, vai para 3.675,08; a partir de maio de 2017, vai para  4.019,62 e a partir de maio de 2018,  vai para  4.558,28.  Daqui há 4 (quatro) anos, o soldado da PM/BM, vai ganhar 4.558,00. O subsídio do coronel da PM/BM, a partir maio de 2015, vai para 14.583,64; a partir maio de 2016, vai para 15.312,82; a partir maio de 2017, vai para 16.078,46 E a partir maio de 201, vai para 17.200,00.

SUBSÍDIO PARA OS POLICIAIS CIVIS

No dia 22 de maio deste ano, sexta feira, conforme tabela divulgada, o Governador autorizou um aumento de 222 (duzentos e vinte e dois por cento), para os Agentes da Polícia Civil do nosso Estado, para ser pago em três anos. A partir de dezembro de 2016, o subsídio do Agente da polícia civil vai para R$ 5.704,66; em dezembro de 2017, vai para R$ 8.464,66 e a partir de dezembro de 2018, vai para R$ 11.224,66. Já o subsídio do Delegado da Polícia Civil, classe Especial, em maio de 2016, vai para R$ 22.111,15(vinte e dois e cento e onze reais e quinze centavos).

PENDURICALHOS

O governador vai pagar para os integrantes da Polícia Civil e Agentes Penitenciários o Adicional Noturno e o Adicional de Insalubridade, conforme o artigo 6º, da Medida Provisória 198, de 23 de abril de 2015.  Art. 6º. O Adicional Noturno e o Adicional de Insalubridade do Subgrupo Atividades de Polícia Civil – APC, do Subgrupo Processamento Judiciário – APJ e do Subgrupo Atividades Penitenciárias – AP terão como bases de cálculo os valores definidos no Anexo V, conforme a data nele especificada, até que sobrevenha norma específica sobre a matéria. Enquanto isto, os policiais e bombeiros militares, que trabalham 24 horas por dia, NÃO VÃO RECEBER UM CENTAVO DE ADICIONAL NOTURNO E ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. De igual forma, o valor do vale alimentação é maior para os integrantes da PC do que o valor pago para os integrantes da PM/BM. Chamo que PENDURICALHO, porque é um ENGODO SALARIAL, isto só é pago para o pessoal da ativa, quando você aposenta, o momento que você mais precisa você não leva essas gratificações.

É justo e merecido que o governador pague para um agente da PC, um subsídio de R$ 11.224,66 (onze mil duzentos e vinte e dois reais e sessenta e seis centavos), e de R$ 22.111,15(vinte e dois e cento e onze reais e quinze centavos), para os Delegados de classe Especial, independente de decisão judicial, pois devem receber bem pelo que fazem.

É justo o governador Flávio Dino dar esse tratamento repressor para os PM/BM?  Analisem – os PM/BM – estão 24 horas nas ruas, desenvolvem atividades semelhantes aos policiais civis, os riscos são maiores, pois, só este ano, cinco policiais militares já foram assassinados.  Então, não é justo pagar para um PM/BM, um subsídio de R$ 4.558,00(quatro mil quinhentos e cinquenta e oito reais), mas isto somente no ano de 2018, e já no ano 2016 pagar para um Agente da PC o valor de R$ 5.704,66 e em 2018, o subsídio do agente da PC vai para R$ 11.224,66. Repito, é justo os integrantes da PC ganharem bem. Agora o que não é justo e nem igual é a política salarial do governador Flávio Dino para os militares do Estado, pois além de injusta e desigual é, também, IMORAL, quando comparamos com os integrantes da Polícia Civil.

Será que o Governador não percebe que com esta política salarial ele está estimulando a discórdia entre as corporações civil e militar? Será que ele não sabe que R$ 4.558,00(quatro mil quinhentos e cinquenta e oito reais), corresponde apenas a 40,6% de R$ 11. 224,66(onze mil duzentos e vinte e quatro reais e sessenta e seis centavos)?

Bom, se o governador Flavio Dino, trata suas policiais com dois pesos e duas medidas. Desta forma, não podemos entender diferente de humilhação, de rebaixamento, um tratamento com soberba, uma repressão.

Governador Flávio Dino, repense suas atitudes e nem venha alegar que foi em decorrência de decisão judicial, pois o artigo 43, inciso II, da Constituição do Estado, diz que é de inciativa privativa do Governador do Estado a Lei que dispõe sobre aumento de remuneração dos servidores. Eles foram buscar na Justiça seus direitos, nada mais correto, pois só agiram assim porque os governadores lhes negaram este direito. Não seja por isso, pague os 21,7% de 2006? A URV que nós, militares do Estado, temos direito e o Estado já pagou para outros servidores? A política salarial é de sua exclusiva competência.

Finalmente, na história da minha Polícia Militar do Maranhão, nunca tinha visto um governador tratar nossas instituições com tamanha desigualdade e indiferença. O senhor esta desvalorizando as nossas instituições, diferentemente do que o senhor falou em 2010, quando candidato a governador do Estado do Maranhão, “nós vamos VALORIZAR a PM e o BM” e já dizia que pagava a PEC 300, no ano de 2010, onde os valores já eram superiores a estes da Medida Provisória 198.  Repetiu o mesmo em 2014, por ocasião da campanha que ia valorizar a PM e a BM. Esqueceu o que falou? Nós não esquecemos. Então, faça uma reflexão sobre o que fez e corrija essas injustiças. Avante! Avante! Maranhão.

Flávio Dino acaba com Viva Luz; quase 1,2 milhão de maranhenses perdem benefício
Política

Gastos do governo com cada família assistida pelo programa social não passava de 40 reais

Benefício social pode ter sido tirado da população carente apenas por ter sido criado pela adversário do comunista
Blog do Gilberto Léda Governo apagado Benefício social pode ter sido tirado da população carente apenas por ter sido criado pela adversário do comunista

O governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, deu um duro golpe em centenas de milhares de maranhense que sobrevivem abaixo da linha da pobreza ou da pobreza extrema em 32 regiões do estado, conforme dados oficiais.

Por meio do Decreto nº 30.701, publicado no Diário Oficial do Estado do Maranhão do dia 07 de abril passado, o comunista decidiu dar fim ao Programa Viva Luz, que beneficiava quase 1,2 milhão de maranhenses carentes com a quitação da conta de energia elétrica de residências onde o consumo registrado era de até 50 kwh/mês.

O "Corte do Cão" foi confirmado, em nota, pela própria Assessoria de Comunicação da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), que justificou ainda que apenas "atende e respeita as determinações vindas do poder executivo".

Como o decreto ataca logo quem mais precisa de ações sociais do Governo do Estado, ainda não há uma razão específica para a ação de Dino, mas suspeita-se que tenha sido motivada apenas por birra política, já que o programa social foi criado pela ex-governadora Roseana Sarney, do PMDB, a quem Dino culpa por todo o abandono e descaso no estado, inclusive os ocorridos nos quase cinco meses de seu próprio governo.

Depois de envergonhar nacional e internacionalmente todo o Maranhão com a falta de sensibilidade com um menor de seis meses que precisava de uma cirurgia em São Paulo, a decisão do governador em por fim ao Viva Luz demonstra agora a falta e sensibilidade do comunista para com a população mais pobre do estado já que, para cada família assistida pelo programa - cerca de 30 mil -, o gasto do governo não passava de 40 reais, valor muito abaixo do torrado com festas de Carnaval e do que foi desviado do Orçamento do Estado para a pasta onde estão abrigados um dono de uma construtora fantasma e um acusado pela CGU de desviar mais de R$ 26 milhões em São Bento.

Açailância: TJ-MA afasta Gleide Santos e manda dar posse à Juscelino Oliveira
Política

Peemedebista foi flagrada utilizando máquinas e servidores da prefeitura em reforma de uma propriedade particular. Denúncia foi feita pelo Atual7 no final de novembro de 2013

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) do Maranhão acaba de afastar a prefeita do município de Açailândia, Gleide Lima Santos, do PMDB, após julgar pedido do Ministério Público do Estado, em uma ação criminal onde a peemedebista é acusada de utilizar uma de suas propriedades, a ‘Fazenda Copacabana’, máquinas e servidores da municípios para executarem obras.

O peculato, que motivou a ação do MP-MA, foi denunciando pelo Atual7 no final de novembro de 2013.

As imagens mostram uma patrol, uma retroescavadeira e caçambas pertencentes à Prefeitura de Açailândia reformando a fazenda de Gleide Santos, em serviços de empiçarramento dos curais e da estrada que corta toda a extensão da propriedade particular, além da construção de um açude e de uma área de lazer.

Na decisão que afastou a prefeita, os desembargadores da 1ª Câmara Criminal do TJ-MA determinaram, em unanimidade, que a Câmara Municipal de Vereadores de Açailândia dê posse, imediatamente, ao vice-prefeito da cidade, Juscelino Oliveira, ao cargo de prefeito.

De acordo com o Blog Rei dos Bastidores, que faz a cobertura da região, o vereador Ancelmo Rocha, que comanda o Legislativo municipal, já declarou que a ordem judicial será cumprida ainda nesta terça-feira (26).

Abaixo, um dos 16 vídeos que serviram como prova para o afastamento de Gleide Santos do comando da Prefeitura de Açailândia: