Flávio Dino carrega Marcelo Tavares a tiracolo para abafar crise no governo
Política

Chefe da Casa Civil chegou a entregar o cargo, após esvaziamento de sua pasta em prol de Márcio Jerry

Desde janeiro, Tavares tem servido na Casa Civil apenas para ouvir Jerry
Divulgação Apagado Desde janeiro, Tavares tem servido na Casa Civil apenas para ouvir Jerry

O governador Flávio Dino (PCdoB) entrou pessoalmente em campo para abafar a crise instalada em seu governo após esvaziamento do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, em prol do secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso.

Quem esteve presente no 1º Encontro Nacional da Juventude Popular Socialista no Maranhão, e no ato de filiação de Luis Fernando Silva ao PSDB, percebeu que o comunista trocou - pela primeira vez, desde que assumiu o comando dos Leões - a já habitual companhia de Jerry pela de Tavares, carregado aos dois eventos a tiracolo.

Jogado as cobras com o remanejamento de 131 cargos da Casa Civil para a Secretaria de Articulação Política e Assuntos Federativos, Marcelo Tavares chegou a entregar o cargo para Dino há cerca de duas semanas. O governador, porém, não aceitou, e prometeu contornar a situação criada por ele próprio.

Resta agora aguardar se o ex-deputado realmente terá a autonomia conferida ao cargo que exerce ou se apenas desempenhará a função de acompanhante de eventos - e até quando.

Zé Reinaldo

O tio de Marcelo, o deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), também tem dado claros sinais de insatisfação com os superpoderes dados à Márcio Jerry pelo governador afilhado.

Político experiente, o ex-governador do Maranhão tem se mantido em total silêncio e distância do governo comunista.

“O autismo não pode mais ser tratado como algo desconhecido”, destaca Wellington
Política

Carta-proposta será entregue ao Governo do Estado solicitando urgência em políticas públicas voltadas para a educação, saúde e assistência social em defesa dos autistas

Atendendo ao requerimento do deputado Wellington do Curso (PPS), a Comissão de Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia Legislativa realizou, na tarde da última quinta-feira (23), no Auditório Fernando Falcão, uma Audiência Pública em defesa dos direitos dos autistas.

A reunião contou com a participação do presidente da CDH da Casa, deputado Zé Inácio (PT); do secretário de Estado dos Direitos Humanos, Francisco Gonçalves; do promotor de Infância e Juventude, Márcio Thadeu; da presidente da Associação Brasileira de Autismo, Marisa Fúria, além de representantes de órgãos públicos municipais e estaduais e pais de crianças espectro autistas, que discorreram sobre os desafios da convivência com pessoas autistas e forneceram informações sobre a síndrome.

Ao fazer a abertura da reunião, Wellington, que é vice-presidente da CDH, reafirmou que continuará empenhado na defesa pelos direitos sociais e das minorias e será a voz no parlamento dos menos favorecidos.

- Não me calarei diante das mazelas e anseios da população. Como defensor da dignidade humana, quero destacar que o autismo não pode ser mais tratado como algo desconhecido. Cabe a todos nós essa união na busca por políticas públicas em defesa das pessoas com deficiência e, ao parlamento, que não nos omitamos de nossas responsabilidades enquanto deputados. Destaco o meu apoio, minha voz, minha energia e minha defesa a todos vocês, pais e defensores dos autistas - ressaltou.

Na ocasião, os organizadores exibiram um vídeo-documentário apresentando depoimentos e histórias de vida de pais com filhos autistas. Em seguida, a representante das mães, Telma Sá, e o presidente da Associação dos Amigos dos Autistas (AMA), Iomar da Silva, explicaram sobre o transtorno espectro autista e as condições vivenciadas por eles na realidade atual, e destacaram a importância de cada município do Estado disponibilizar um Centro de Assistência ao Autista.

Também presente na audiência, a promotora da Educação, Luciane Belo, fez referência à última pesquisa do IBGE que somou mais de 1 milhão de autistas só em São Luís, o que levou o Maranhão a ser o segundo estado com o maior número de pessoas com a síndrome.

No encerramento do evento, conduzido pelo deputado Zé Inácio, a Comissão encaminhou as seguintes proposições: reunião de trabalho para a primeira quinzena de maio com representantes das secretarias de Educação, Saúde e Direitos Humanos e a presença de associações representativas do Autismo.

Foi registrada, ainda, uma audiência na qual será entregue uma carta-proposta ao Governo do Estado solicitando urgência em políticas públicas e projetos voltados para a educação, saúde e assistência social em defesa dos autistas

Maranhão

Unidade ficou sem energia elétrica por até três horas. Equipe do hospital não teve a capacidade de resolver o problema antes de os pacientes perderem a vida

Fachada do Hospital Macrorregional de Coroatá
SES Matadouro Fachada do Hospital Macrorregional de Coroatá

A morte de dois bebês e uma idosa que estavam sob a guarda e responsabilidade do Estado na UTI do Hospital Macrorregional de Coroatá, ocorrida entre as 6h e 6h20min do sábado passado (18), pode ter sido causada por falta de oxigênio.

A denúncia foi feita em uma rede social pelo ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad. A Secretaria de Estado de Saúde, comandada pelo médico Marcos Pacheco e a odontóloga Rosângela Curado, mantinha o caso em segredo.

Relatos de funcionários e familiares dos pacientes falecidos dão conta de que uma queda de energia às 4h da madrugada interrompeu o fornecimento de oxigênio e a equipe do hospital não teve a capacidade de resolver o problema antes das crianças e da mulher perderem a vida. Apesar do caso exigir procedimentos emergenciais, somente às 7h o sistema de oxigênio teria voltado a funcionar normalmente, provocando a matança.

A demora teria sido em razão da falta de técnicos, responsáveis por reativar a usina de oxigênio e pelo enchimento de cilindros de reserva de oxigênio usados para atender pacientes que respiram por meio de aparelhos, até que o fornecimento normal seja restabelecido.

Além de não estarem no Macrorregional no momento da queda de energia, eles não atenderam ao chamado.

Gleide Santos vai mesmo ter de depor na Comissão Processante
Política

Prefeita de Açailândia havia rasgado intimação e agredido vereadores para escapar de depor sobre supostos casos de corrupção em sua gestão

Mesmo utilizando manobras meramente protelatórias e abusos de conduta no exercício do mandato, a prefeita do município de Açailândia, Gleide Lima Santos (PMDB), vai mesmo ter de prestar depoimento aos vereadores da Comissão Processante, que investigam supostas práticas de corrupção na administração da peemedebista. A informação é do Blog do Antônio Marcos.

Depois de várias tentativas frustradas para notificar a Gleide Santos - além do fato de que ela rasgou a primeira intimação e agrediu verbalmente os parlamentares -, a Comissão Processante decidiu convocar a prefeita por edital, publicado no Diário Oficial do Estado Maranhão e em jornais de grande circulação regional e estadual, para prestar depoimento pessoal no dia 28 do corrente mês, às 16 horas, na sala da Comissão Processante, na forma do Decreto Lei nº 201/67, e nos moldes do artigo 5º, LV da Constituição Federal.

Caso até lá não ocorra como em semelhantes situações de outras cidades do Maranhão, e nenhum vereador estranhamente mude sua posição após dialogar com a gestora, a convocação por edital tira qualquer chance de Gleide voltar a se esquivar de depôr perante os vereadores.

A população está de olho.

Vazamento de contracheque por Rosângela Curado gera crise no governo Flávio Dino
Política

Amiga de Jerry, enfermeira foi empregada como coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz com salário de secretário de Estado

É grande a crise interna instalada no governo Flávio Dino por conta do vazamento do contracheque e da cópia de um cheque da enfermeira Keilane Silva Carvalho, atual coordenadora de Enfermagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Imperatriz.

Clayton Noleto atento à leitura de seu padrinho político, o secretário de Articulação Márcio Jerry
Divulgação Criatura e criador Clayton Noleto atento à leitura de seu padrinho político, o secretário de Articulação Márcio Jerry

O governo descobriu que partiu da subsecretária de Saúde do Maranhão, a pedetista Rosângela Curado (foto acima), a distribuição das cópias dos documentos em grupos de WhatsApp, em contra ação aos ataques do secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso, amigo de Keilane Carvalho, à sua pré-candidatura a prefeitura da cidade.

A trama envolve ainda o jornalista Marcos Franco, indicado por Jerry para a assessoria de Comunicação do secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, candidato oficial de Márcio Jerry e adversário de Curado na disputa.

Franco teria sido instruído pelo secretário de Articulação Política a vazar informações de supostos atos de corrupção praticados pela subsecretária de Saúde, dentre eles o de cobrar propina para a liberação de pagamentos à empresas terceirizadas pelo governo anterior e de criar uma folha santa no Hospital de Câncer do Maranhão e na Maternidade Benedito Leite, ambos em São Luís.

Na cabeça Jerry, ao enfraquecer Rosângela Curado na disputa, além de abrir caminho livre para a eleição do "poste" Clayton Noleto, ele conseguiria se livrar do trauma do famigerado alcunha "Coveiro de Imperatriz" - apelido dado pela população da cidade depois de ter enterrado a carreira politica do casal Jomar e Terezinha Fernandes.

Ontem (24), após a repercussão de que recebe um supersalário na UPA de Imperatriz, para tentar contornar o racha no governo, em nota em que acabou revelando crime de fraude contra arrecadação federal, a enfermeira Keilane Carvalho foi orientada a alegar que o contracheque a cópia do cheque teriam sido subtraídos de sua bolsa, embora não tenha sequer boletins de ocorrência registrando o caso, e nem tenha explicado o porquê de alguém roubar a uma cópia de um cheque de sua bolsa.

PSDB prepara festa para filiação de Luís Fernando Silva neste sábado
Política

PSDB prepara festa para filiação de Luís Fernando neste sábado

O ex-prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva, se tornará oficialmente tucano a partir das 10h deste sábado (25). A festa do ato de filiação ao PSDB está marcada para acontecer no Rio Poty Hotel, no bairro da Ponta d'Areia, em São Luís.

Respeitado administrador da coisa pública e político diferenciado no Maranhão, Luís Fernando desistiu de se candidatar a governador em meados de 2014, ao perceber que, embora ainda mantenham uma relação respeitosa e amigável, sempre teve um figurino que nada tinha a ver com a então governadora Roseana Sarney e o restante do clã maranhense.

O mais novo tucano esteve perto de filiar-se ao PCdoB, partido do governador Flávio Dino, a convite do próprio comunista, mas acabou decidindo pelo PSDB, partido pelo qual disputará a Prefeitura de São José de Ribamar em 2016.

A filiação de Luis Fernando promete movimentar ainda mais importantes nomes políticos em direção ao ninho.

Em notas, enfermeira e Bem Viver revelam crime de fraude contra a arrecadação federal
Política

Coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz recebeu em apenas um único mês quase R$ 14 mil. Ela e Oscip de deputado alegam soma de retroativos

Em notas similares distribuídas em grupos de WhatsApp, nesta sexta-feira (24), pelo secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso, a sua amiga e enfermeira Keilane Silva Carvalho (foto acima), atual coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz, e a Oscip Associação Tocantina para o Desenvolvimento da Saúde Bem Viver, pertencente ao deputado estadual Antônio Pereira (DEM), revelaram crime de fraude de arrecadação de impostos ao Leão.

A enfermeira Keilane Silva Carvalho, atual coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz
Facebook Trabalhadora A enfermeira Keilane Silva Carvalho, atual coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz

De acordo com as notas, os quase R$ 14 mil líquidos recebidos por Keilane Carvalho seriam em razão de pagamentos retroativos aos meses de janeiro e fevereiro, além do mês de março passado. Na soma dos três meses, argumentam, o contracheque chegou ao supersalário, distante da realidade do cargo e do recebido por outros coordenadores de UPA no Maranhão.

Uma rápida visualização no contracheque da coordenadora da UPA, porém, desmonta a alegação e revela ainda a prática de crime.

Referente ao mês de março, o documento mostra que Keilane Carvalho foi admitida no cargo no dia 1º de fevereiro, e não em janeiro, o que não dá a ela o direito legal de receber três meses de pagamentos, como foi alegado. Caso tenha recebido retroativo antes de ser admitida, Keilane embolsou dinheiro público como funcionária fantasma, e ainda deixou de repassar o valor correto do Imposto de Renda:  R$ 2.634,40 (dois mil, seiscentos e trinta e quatro reais e quarenta centavos), e não apenas os R$ 513,01 (quinhentos e treze reais e um centavo).

Além da obrigatoriedade de que os três pagamentos deveriam ter sido feitos em contracheques separados, outro trecho que também contradiz as justificativas apresentadas pela enfermeira e pela Oscip de Pereira é ainda mais curioso.

Se os R$ 13.189,07 (treze mil, cento e oitenta e nove reais, e sete centavos) líquidos recebidos em um único mês pela amiga de Jerry realmente fossem referentes ao pagamento do mês de março e a soma de retroativo de outros dois meses, a Bem Viver deveria descontar o total de três descontos no INSS e mais três no IRRF, e não somente um, como está no documento, o que caracteriza o cometimento de fraude contra a arrecadação federal.

Grave, a mesma falha também pode ser observada no adicional de 20% de insalubridade, além da contribuição sindical. Em ambos, o contracheque mostra a referência a apenas um mês, comprovando que os R$ 14.244,32 (quatorze mil, duzentos e quarenta e quatro reais e trinta e dois centavos) brutos realmente são o salário que Keilane Carvalho garfou referente a apenas um único mês - e que possivelmente continuaria a receber, se o Atual7 não tivesse revelado todo o esquema na quinta-feira (23).

Cópia do contra-cheque de Keilane Carvalho
WhatsApp Verba pública Cópia do contra-cheque de Keilane Carvalho

Como somente o empregador é obrigado a efetuar a arrecadação federal, neste caso, dando o governo Flávio Dino como oficial a versão da Oscip e da enfermeira para o supersalário, como fez Jerry nos grupos de WhatsApp, para se livrar de ser enquadrada por corrupção e outros crimes, Keilane Carvalho tem como única saída alegar à Justiça que não comeu dinheiro público em conluio, mas na calada por não saber do crime contra a arrecadação cometido pela Bem Viver, e devolver imediatamente o valor a mais que recebeu.

Por se tratar de impostos federais, cabe a Polícia Federal investigar o caso, que pode configurar, comprovada a intenção de prejuízo à Receita Federal, como corrupção passiva, corrupção ativa, associação criminosa, tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Cabe ainda a Secretaria de Transparência e Controle, chefiada pelo advogado Rodrigo Lago, averiguar se a verba repassada pelo Estado foi usada ou não para beneficiar a amiga do secretário de Articulação Política.

Enfermeira não é a primeira amiga de Márcio Jerry a receber supersalário em Imperatriz
Política

Então secretário de Comunicação da gestão Jomar Fernandes, comunista nomeou a rainha do Carnaval da cidade com um polpudo salário

A enfermeira Keilane Silva Carvalho, nomeada como coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz no governo do amigo
Facebook A amiga A enfermeira Keilane Silva Carvalho, nomeada como coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz no governo do amigo

A enfermeira Keilane Silva Carvalho, atual coordenadora de Enfermagem da UPA de Imperatriz, não é a primeira amiga do secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry Barroso, a ganhar do comunista uma alta sinecura e um supersalário na Princesa do Tocantins.

O escândalo revelado pelo Atual7 nessa quinta-feira (23) se assemelha a um ocorrido em meados de 2002, quando Márcio Jerry ainda era secretário municipal de Comunicação da gestão Jomar Fernandes.

Homem forte do ex-prefeito de Imperatriz, Jerry nomeou em sua pasta a então rainha do Carnaval da cidade, Laura, também em um alto cargo e com um polpudo salário.

Tempos depois, descoberta a super relação de amizade entre ele e a rainha do Carnaval, a moça foi enviada para fora da cidade, mas ainda assim continuou a ganhar a vida de forma fácil.

Repórter Record vai mostrar morte de quase 200 bebês em maternidade dos Coutinho
Política

Mortes de recém-nascidos já havia sido abordado em quadro do programa CQC, da Band

O Maranhão voltará a ser envergonhado em todo o país. Pouco antes de completar 30 dias em que exibiu em rede nacional o drama de famílias que pouco têm o que comer nos municípios de Centro do Guilherme, Belágua, Marajá do Sena e Fernando Falcão, a equipe do programa Repórter Record Investigação voltou ao Maranhão e deve exibir, na próxima segunda-feira (27), um dos piores exemplos da falta de escrúpulo e do descaso de prefeitos do interior do estado com a coisa pública: a morte de quase 200 bebês, em menos de um ano, na Maternidade Carmosina Coutinho, em Caxias.

A "maternidade da morte" pertence a uma das oligarquias do município, a Coutinho, que comanda a prefeitura da cidade por meio do socialista Leonardo Barroso Coutinho, o Léo Coutinho (foto acima), sobrinho do chefe do clã, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Humberto Coutinho (PDT).

A reportagem exibirá depoimentos fortes, comoventes e inéditos, como o de Dayane, de 17 anos, que teve parte dos sonhos soterrada com a perda da filha, e até hoje não sabe porque sua bebê morreu; e o do casal José de Ribamar e Mayane, que também desconhecem as causas da morte do filho, que nem chegou a nascer.

O Repórter Record Investigação também vai mostrar drama de crianças que nasceram prematuras na Carmosina Coutinho e ficaram cegas.

Matadouro de recém-nascidos

A morte de recém-nascido na maternidade dos Coutinho já havia sido abordado pelo Quadro Proteste Já, no programa Custe o Que Custar (CQC), da Band, em novembro do ano passado.

Na época, quando o número de crianças mortas na maternidade da família já beirava a 150, Léo Coutinho tentou atribuir a reportagem feita pelo ex-CQC Oscar Filho à disputa de poder entre a sua família e outra oligarquia do município, a Marinho.

O prefeito de Caxias ainda chegou a processar Filho por mostrar o descaso em rede nacional, mas perdeu na Justiça, que ainda acionou devido à "diversas desconformidades que, de um modo ou de outro, estão elevando o índice de mortalidade fetal e neonatal" na maternidade de sua família, que se sustenta a base de dinheiro público.

Relembre a reportagem do CQC:

Em São Luís, bandidos espalham pedras na IV Centenário para facilitar assaltos
Maranhão

Flagra foi feito na noite dessa quarta-feira (22), próximas aos prédios do Minha Casa Minha Vida na Fé em Deus

Muito cuidado ao circular - principalmente no período da noite - pela Avenida IV Centenário, que liga o bairro da Alemanha à Camboa, em São Luís.

Além da iluminação precária nos 3,8 quilômetros de extensão da avenida, no sentido Camboa-Alemanha, bandidos estão colocando pedras de um canto ao outro da pista para que motoristas reduzam a velocidade e fiquem expostos a assaltos.

O flagra foi registrado na noite dessa quarta-feira (22), próximo aos prédios do Minha Casa Minha Vida, na Fé em Deus, por homens da Viatura Choque 13, da Polícia Militar do Maranhão.

Bandidos espalharam pedras na IV Centenário para facilitar assaltos
Divulgação InsegurançaBandidos espalharam pedras na IV Centenário para facilitar assaltos
Insatisfação de PM e Bombeiros com reajustes dos subsídios gera Operação Tartaruga no MA
Política

Militares cobram ainda a criação da "PEC 300 estadual", prometida pelo governador do Maranhão durante a campanha eleitoral

Policiais militares e bombeiros do Maranhão deflagraram, nesta quinta-feira (23), uma Operação Tartaruga em todo o estado, movimento que prega o atraso no atendimento das ocorrências.

O protesto, que pode alimentar a violência, foi motivado pela insatisfação da tropa pelo valor insatisfatório dos reajustes dos subsídios dos servidores do Sistema de Segurança Pública concedidos pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

Pela tabela apresentada pelo comunista, os soldados e cabos da Polícia Militar terão recomposição salarial de apenas 19,5%.

Além da insatisfação com o valor dos reajustes, os militares também estão descontentes com o não cumprimento de uma das promessas de campanha feito pelo governador do Maranhão, durante a campanha eleitoral de 2014: a criação da "PEC 300 estadual".

Pai de secretário de Transparência entra como fantasma na AL e ainda ganha gratificação
Política

Rendimentos de Aderson Lago com sinecura ultrapassam aos salários de secretários de Estado

O ex-deputado estadual Aderson Lago, pai do secretário de Transparência e Controle do governo Flávio Dino, o advogado Rodrigo Lago, ganhou uma boa quantia a mais para investir em sua casa de jogos, no Calhau.

Depois de ganhar um emprego fantasma na Assembleia Legislativa do Maranhão, chefiada pelo deputado Humberto Coutinho (PDT), Aderson foi beneficiado com uma gratificação nível XV, que somada ao alto salário de simbologia DGA, lhe garante o rendimento mensal acima de secretários de Estado.

Explica-se: sinecurado no último dia 14 no cargo em comissão de Assessor Especial Legislativo, o pai do secretário de Transparência teve sua nomeação e gratificação publicadas com efeito retroativo para o dia 1º, embora tenha aparecido na Casa do Povo apenas para assinar sua posse.