Roberto Rocha
Roberto Rocha quer desconto maior para beneficiados com tarifa social
Política

Proposta do senador pretende alcançar as pessoas mais carentes. Estados do Norte e Nordeste serão os mais beneficiados

Começou a tramitar no Senado, nesta semana, projeto de lei de autoria do senador Roberto Rocha (PSB-MA) que altera as faixas de consumo e percentuais de desconto aplicados aos beneficiários da Tarifa Social de Energia Elétrica.

A proposta foi motiva após sucessivos aumentos na conta de luz dos brasileiros e as dificuldades de pessoas de baixa renda de pagar por esses reajustes. O último aconteceu no início deste mês, quando a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou alteração para cor vermelha a bandeira tarifária. Isso significa que o consumidor vai ter de desembolsar mais para pagar a energia no próximo mês.

Para Rocha, a proposta vai beneficiar a população dos estados mais pobres, como é o do Maranhão. “O nosso estado, por exemplo, é o que tem o segundo pior IDH do Brasil e a pior renda per capita, além de possuir indicadores econômicos e sociais muito fracos. E, por outro lado, tem a maior tarifa de energia elétrica, o que é algo absolutamente contraditório”, alertou.

Pela proposta, para a parcela de consumo de energia elétrica inferior ou igual a 50 kWh/mês, o desconto será de 70%. Para famílias que consumirem entre 51 e 150 kWh/mês, o desconto cai para 50%. Para a parcela compreendida entre 151 e 250 kWh/mês, o desconto será de 20%, enquanto acima de 250 kWh/mês não haverá desconto.

Roberto Rocha acredita que o projeto não terá dificuldades para ser aprovado. “Estamos procurando atender pessoas mais carentes, especialmente dos estados do Norte e do Nordeste. Como que alguém pode ser contra isso? É uma forma de diminuir as desigualdades regionais existentes no Brasil”, afirmou o senador.

Luciano garante obras para Pinheiro em encontro com Roberto Rocha
Política

Execução dos projetos será feita com recursos do PAC e por meio do Ministério da Integração Nacional

O prefeito do município de Pinheiro, Luciano Genésio (Avante), reuniu-se, nessa segunda-feira 31, em São Luís, com o senador Roberto Rocha (PSB-MA). No encontro, foi discutida uma agenda positiva para a população da cidade.

Dentre os projetos discutidos, destacam-se o de investimentos que garantam a revitalização da Avenida Pericumã – que equivale à Avenida Litorânea, em São Luís; e a construção de um moderno Centro de Abastecimento.

A execução das obras será garantida com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Além disso, o prefeito de Pinheiro garantiu, ainda, a destinação de pelo menos 20 quilômetros de pavimentação asfáltica para as ruas da cidade, por meio do Ministério da Integração Nacional.

No Senado pelo MA, apenas Roberto Rocha gasta com divulgação do mandato
Política

Senador já direcionou mais de R$ 100 mil da cota para a propaganda de sua atividade parlamentar

Pré-candidato ao Palácio dos Leões em 2018, o senador Roberto Rocha (PSB) tem sido o único parlamentar no Senado Federal pelo Maranhão na atual legislatura a gastar parte da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores (CEAPS) com a divulgação do mandato. Em gastos gerais, ele custou R$ 1.177.159,89 aos cofres públicos para manter o funcionamento de seu gabinete, sendo o senador mais caro do Maranhão.

De acordo com levantamento feito pelo ATUAL7 no Portal da Transparência da Casa, o socialista já direcionou exatos R$ 113.212,10 para a propaganda de sua atividade parlamentar. Foram R$ 39.680,00 gastos em 2015; R$ 60.932,10 em 2016 e, até agora, R$ 12.600,00 em 2017.

Uma das contratadas por Rocha para a divulgação do mandato é a Agência em Foco Empresa de Comunicação, de Brasília (DF).

Criada em março de 2015, portanto após o parlamentar já haver sido eleito, a empresa faturou R$ 33.968,00 do gabinete de Roberto Rocha. Na Receita Federal, a empresa está registrada em nome de Wolglan de Astre Melo, que nas eleições de 2016 doou R$ 15 mil para o PSB, partido do parlamentar maranhense.

Ao Senado Federal, é informado pelo socialista que o valor repassado à Agência em Foco corresponde ao serviço de divulgação de atividade parlamentar por meio de programa de vídeo e programa de rádio.

Segundo a assessoria de comunicação de Roberto Rocha, as peças foram produzidas para veiculação nas redes sociais. O serviço teria durado somente nove meses, até o contrato ser desfeito para investimento em equipamentos e treinamento do pessoal do gabinete do senador.

Ainda segundo a assessoria, ao firmar o contrato, Rocha não tinha qualquer conhecimento profissional ou pessoal sobre o proprietário da empresa. Foi a própria Agência em Foco, ressalta, quem teria procurado o socialista oferecendo os serviços.

Roberto Rocha é o senador do Maranhão que mais gasta com gabinete
Política

Socialista já custou mais de R$ 1,1 milhão aos cofres públicos. Levantamento é referente a atual legislatura. Edison Lobão é o senador mais barato

Dos três senadores da República pelo Maranhão, Roberto Rocha (PSB), que pretende disputar o Palácio dos Leões em 2018, é o campeão de gastos para manter o funcionamento de seu gabinete. Apesar de o país enfrentar uma grave recessão, o socialista já custou exatos R$ 1.177.159,89 aos cofres públicos.

O levantamento foi feito pelo ATUAL7 com base em dados fornecidos pela própria Casa, referentes aos primeiros dois anos e meio de mandato da atual legislatura. Os gastos mostrados na reportagem são das rubricas Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores (CEAPS) e “Outros Gastos”.

O senador João Alberto Souza (PMDB), que é presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa, mantém a vice-liderança nos gastos com o funcionamento do gabinete. Ao todo, durante o período consultado, o peemedebista custou R$ 863.524,87 aos cofres.

Acossado na Lava Jato, esquema desbarato pela Polícia Federal justamente por envolver dinheiro público, o senador Edison Lobão (PMDB) tem sido, curiosamente, o que menos tem custado aos cofres públicos para manter o seu gabinete. Segundo o levantamento, Lobão consumiu apenas R$ 492.610,37.

Assim como na Câmara Federal — onde o deputado campeão em gastos é o comunista Rubens Pereira Júnior — a CEAPS destina-se ao ressarcimento das despesas efetuadas com o aluguel de imóvel para a instalação de escritório de apoio à atividade parlamentar, aquisição de material de consumo para uso no escritório, locação de meios de transportes destinados à locomoção dentro do estado de origem, hospedagem e alimentação do parlamentar ou de servidores comissionados e efetivos lotados em seu gabinete, entre outras despesas. Esse tipo de despesa é mais utilizado no Estado de origem dos senadores.

Já a rubrica “Outros Gastos” serve para custeio de outros apetrechos, como viagens oficiais, consumo de material e correios. É um gasto geralmente utilizado pelos parlamentares em Brasília.

Edison Lobão marca sabatina de Raquel Dodge para o dia 12
Política

Relator da indicação, Roberto Rocha pode ter aproveitado parecer para mandar indireta para o governador Flávio Dino

O presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, Edison Lobão (PMDB), marcou para a próxima quarta-feira 12 a sabatina da procuradora da República Raquel Dodge, indicada pelo presidente Michel Temer para a chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR) em substituição a Rodrigo Janot, que termina o mandato até setembro próximo.

No mesmo dia, logo após a sabatina, será votada a indicação. Aprovada, a previsão é que a nomeação siga para votação em plenário no mesmo dia, em regime de urgência.

A data foi marcada após outro maranhense, o senador Roberto Rocha (PMDB), ler o parecer na CCJ, declarando que Dodge está apta para assumir o cargo.

Relator da indicação, o socialista ressalta no parecer o que chamou de “louvável trajetória” e “aspectos notáveis da atuação profissional e acadêmica” da procuradora da República. Ele também elencou alguns pontos do currículo da indicada, pontuando sua formação no exterior e alguns fatos de sua carreira no Ministério Público.

“Foi designada pelo Procurador-Geral da República para desempenhar, por delegação, importantíssimas funções em casos específicos, como a persecução criminal ao então deputado Hildebrando Paschoal e a liderança da chamada Operação Caixa de Pandora, que teve entre um de seus pontos culminantes a prisão – inédita e única até hoje – de um governador no exercício de suas funções, o então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda”, lembra Rocha.

Indireta

No bastidor, esse trecho foi encarado como um tipo de indireta do senador ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). O comunista é um dos 12 chefes do Executivo citados em delações premiadas da Odebrecht, a famigerada “lista do fim do mundo”.

Segundo um dos executivos da empreiteira, Dino seria o “Cuba” da planilha de propina da empresa, e teria recebido R$ 400 mil da Odebrecht, divididos em partes iguais entre as eleições de 2010 e 2014. O primeiro repasse, garante o delator, teria sido feito por fora, em troca de apoio a um projeto na Câmara dos Deputados, o que pode caracterizar, em tese, caixa 2 e corrupção.

Apesar de já autorizado há quase três meses pelo ministro Edison Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Janot nunca enviou o pedido de abertura de inquérito contra Flávio Dino ao Superior Tribunal de Justiça.

Se deixar o cargo sem fazê-lo, a tarefa caberá à Dodge.

Caso o pedido seja aceito, o governador do Maranhão os outros chefes do Executivo pilhados na Lava Jato podem ser afastados no cargo e até mesmo ser presos pela Polícia Federal. Daí a indireta de Roberto Rocha, que é pré-candidato ao Palácio dos Leões em 2018, ao comunista.

Projeto de Roberto Rocha dobra recursos para merenda em municípios pobres
Política

Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado discutirá aprovação da matéria em reunião nesta terça-feira 4

Escolas situadas em municípios onde há extrema pobreza podem passar a receber em dobro os valores per capita destinados à merenda escolar.

A medida consta do Projeto de Lei do Senado (PLS) 217/2015, do senador maranhense Roberto Rocha (PSB).

De acordo com o projeto, serão considerados como municípios em extrema pobreza aqueles nos quais 30% ou mais das famílias nele residentes façam parte do cadastro dos programas Brasil sem Miséria ou Bolsa-Família.

A proposta, que está na pauta de reunião desta terça-feira 4 da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) da Casa, recebeu voto favorável da relatora Lídice da Mata (PSB-BA), que aceitou a subemenda aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado e será votada em decisão terminativa.

Os recursos destinados em dobro às escolas deverão seguir as exigências de cada etapa e modalidade de ensino.

Roberto Rocha deve relatar indicação de Raquel Dodge para a PGR
Política

Substituta de Rodrigo Janot teve o apoio do ex-senador José Sarney na eleição interna do MPF

O senador Roberto Rocha (PSB-MA) afirmou, nessa quinta-feira 29, que deverá ser o relator da indicação de Raquel Dodge para o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR), em substituição a Rodrigo Janot, que encerra o mandato em setembro próximo. Segundo o parlamentar, Dodge tem “currículo impecável” e foi uma “grande escolha”. Ele disse esperar que a sabatina na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aconteça antes do recesso parlamentar, na segunda quinzena de julho.

“Há o desejo de que a sabatina possa ocorrer ainda neste semestre. Não vai ser [por] exigência de ninguém, a CCJ tem a sua própria agenda, mas vamos acelerar no que for possível. O país precisa muito disso”, frisou.

Rocha observou que a sabatina pode ser longa, mas ressaltou que isso é um elemento positivo do processo de indicação para que o Senado não seja “só uma casa homologatória” da escolha do presidente da República. Em 2015, por exemplo, a sabatina de Janot, que era candidato à recondução, durou mais de dez horas.

Eleição

A oficialização da indicação de Raquel Dodge foi feita pelo presidente Michel Temer na última quarta-feira 28, logo após receber o resultado da eleição interna realizada entre os procuradores do Ministério Público Federal (MPF). O nome de Dodge, que contou com o apoio dos caciques do PMDB, dentre eles José Sarney, foi o segundo mais votado na lista tríplice entregue a Temer, com 587 menções, atrás de Nicolao Dino (621) e à frente de Mario Bonsaglia (564).

A opção de Temer marca a primeira vez em que o primeiro colocado na eleição interna não é indicado para o cargo de procurador-geral. Apesar de não ser uma norma do processo de escolha, essa prática foi adotada nas últimas sete nomeações. Para Roberto Rocha, no entanto, esse fato está dentro das “regras do jogo”.

“Qualquer um dos três estaria honrando o MPF e teria a minha boa vontade. O presidente tem a prerrogativa de escolher qualquer um, ou até nenhum deles. Não há nenhuma estranheza nisso”, disse.

Procedimento

A mensagem presidencial com a indicação de Raquel Dodge ainda precisa ser lida em Plenário. Depois disso, ela será despachada para a CCJ, onde o presidente do colegiado, senador Edison Lobão (PMDB-MA), deverá oficializar o nome do relator.

Após a apresentação do relatório, que deverá conter a apresentação do currículo da indicada e o parecer, será concedida vista coletiva e agendada a sabatina.

Após a decisão da CCJ, contra ou a favor da indicação, o tema seguirá para o Plenário, que terá a palavra final. Raquel Dodge precisará do voto favorável de pelo menos 41 senadores para ser confirmada como a nova procuradora-geral da República.

Biografia

Raquel Elias Ferreira Dodge é subprocuradora-geral da República, membro do Ministério Público Federal desde 1987 e atua em matéria criminal perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ela participou da equipe que redigiu o 1º Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil e atuou na Operação Caixa de Pandora, que investigou esquema de propinas para políticos do Distrito Federal. Dodge integra o Conselho Superior do Ministério Público e é mestre em Direito pela Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Roberto Rocha é o novo corregedor do Senado
Política

Nome do senador maranhense foi aprovado pelo Plenário, nesta terça-feira 27

O Plenário aprovou, nesta terça-feira 27, o nome do senador Roberto Rocha (PSB-MA) como novo corregedor do Senado.

O corregedor tem como funções manter o decoro, a ordem e a disciplina, fazer cumprir determinações da Mesa relacionadas a segurança interna e externa da Casa, supervisionar o cumprimento da proibição de porte de arma e realizar sindicâncias sobre denúncias de ilegalidades envolvendo senadores.

Roberto Rocha cumprirá um mandato de dois anos, até junho de 2019. O corregedor anterior era o senador Sérgio Petecão (PSD-AC), que completou o período para o qual foi eleito o ex-senador e agora ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rêgo.

De acordo com o art. 25 da Resolução 20/1993 do Senado, o corregedor participa das deliberações do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, com direito a voz e voto, competindo-lhe promover as diligências de sua alçada, necessárias aos esclarecimentos dos fatos investigados.

Cenário político do Maranhão para eleições de 2018 começa a ser desenhado
Política

Pela oposição, despontam como pré-candidatos ao Palácio dos Leões Roberto Rocha e Maura Jorge. Flávio Dino tentará a reeleição

A retirada de sigilo da Lista Fachin na Lava Jato mexeu no cenário eleitoral e, ainda que um ano e três meses seja muito tempo nos parâmetros políticos, a configuração para 2018 já começou a ser rascunhada. Pelo menos na corrida pelo Palácio dos Leões.

Com o medo e impossibilidade da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) entrar na disputa pela alta rejeição somada aos processos por corrupção, e com a possibilidade iminente do governador Flávio Dino (PCdoB) ser investigado e se tornar réu no maior esquema de ladroagem e propinagem do país, a eleição do ano que vem para o governo estadual promete ser acirrada.

Além do próprio comunista, que apesar de pilhado pela Odebrecht garante concorrer à reeleição, já se manifestaram a vontade de concorrer ao cargo a ex-deputada estadual Maura Jorge (PTN) e o senador Roberto Rocha — que ainda não fechou causa se vai ser mesmo pelo PSB ou pelo PSDB.

Enquanto Flávio Dino tem se aproximado de políticos e lideranças por meio de eventos oficiais para entrega de equipamentos e serviços públicos, os dois adversários vêm apostando no corpo a corpo pelo interior e abusam das redes sociais para se manter vivos no jogo.

Flávio Dino

Provável nome com maior força na disputa pelo fato único de estar sentado na máquina e saber fazer bom uso desta, Dino é, também, a principal incógnita do próximo pleito, por não haver certeza se ele terminará ou não o mandato e se concorrerá à reeleição — mesmo que atualmente afirme que sim, para as duas coisas.

Citado na Operação Lava Jato pelo delator José de Carvalho Filho, o comunista é alvo de um pedido de investigação da Procuradoria-Geral da República (PGR) no Superior Tribunal de Justiça (STJ), por autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), por suspeitas de que tenha participado do esquema de corrupção da Odebrecht recebendo dinheiro por fora em troca de favores para a empresa. A aceitação desse pedido, somada a possibilidade de oferecimento de denúncia pela PGR, definirá se ele pode ou não virar réu e permanecer no cargo.

Nessa eventual situação, ele pode lançar o prefeitos de São Luís ou de Ribamar, Edivaldo Holanda Júnior e Luis Fernando Silva, ou ainda o presidente do Procon, Duarte Júnior, para substituí-lo. Caso seja obrigado a isso, e o ungido seja Edivaldo ou Luis Fernando, eles terão de deixar o PDT e PSDB e entrar no PCdoB. Duarte já é, oficialmente, comunista.

Por outro lado, caso se livre dessa nódoa, a força dos Leões já o deixa literalmente na agenda do principal nome para comandar o Estado, por meio de seu grupo, pelo mesmo tempo em que clã Sarney controlou o estado.

Maura Jorge

Ex-deputada estadual por pelo menos quatro mandatos e ex-prefeita do município de Lago da Pedra por duas vezes, a pré-candidata do PTN é, na verdade, a única dos três que já faz campanha aberta pelas cidades do Maranhão.

Conhecedora do caminho das pedras, de maior carisma que os outros dois e articulação e tirocínio político capaz de fazer toda uma população carregá-la nos braços e deixar o governador falando sozinho em praça pública, Maura Jorge caminha para as urnas, até agora, a única mulher na disputa.

Pesa contra ela apenas o fato de que precisa mostrar a habilidade que possui para ampliar seu peso partidário, já que a legenda em que é filiada ainda é nanica.

Roberto Rocha

Roberto Rocha, por sua vez, carrega o forte discurso de que pretende realmente implantar no estado a Mudança prometida aos maranhenses em 2014, quando ainda era aliado de Flávio Dino — e não a de perseguição, arrocho salarial, tentativa de censura à imprensa, aumento descontrolado de impostos e continuísmo de gastos com coisas supérfluas e propaganda, “mudança” conhecida tanto por quem não apostou como por quem apostou na implantação do regime comunista no Maranhão.

O socialista tem ainda o trunfo de ser conhecedor não somente dos 217 municípios maranhenses, mas de ser especialista em dados, números e estatísticas de todo o estado.

Contra ele, porém, pesa o fato de que, embora pregue por onde passa que a sua principal plataforma política é unir o Maranhão e superar a dicotomia Sarney versus anti-Sarney, Rocha ainda não conseguiu se firmar como terceira via em razão de não decidir por qual partido disputará a eleição. Essa demora, além de dificultar a formação de um grupo em torno de seu nome, tem provocado na população a desconfiança de que o [ainda?] socialista possa realmente sair candidato a governador contra Flávio Dino ou, se sair, na falta de outro nome competitivo, será a opção adotada pela oligarquia Sarney para o pleito.

Flávio Dino coopta aliados de Roberto Rocha
Política

Senador é o principal adversário do comunista na disputa eleitoral de 2018

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), conseguiu cooptar pelo menos mais dois grandes aliados do senador Roberto Rocha (PSB), principal adversário do comunista na disputa pelo Palácio dos Leões em 2018.

As puladas de barco aconteceram oficialmente no mês passado, quando o atual prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas (PMDB), e o seu filho e deputado federal, André Fufuca (PP), resolveram divulgar abertamente nas redes sociais suposta aliança institucional com o governo dinista.

Ex-sarneysistas, Fufucão e Fufuquinha, como são mais conhecidos na microrregião do Pindaré, onde fazem política, estavam fechados com Rocha desde a pré-campanha eleitoral de 2016.

Com o oferecimento de asfalto para o município onde Fufucão é prefeito, porém, as coisas mudaram.

Essa é a terceira vez que o socialista tem aliados cooptados por Flávio Dino. O primeiro agregado foi do secretário estadual de Meio Ambiente, Marcelo Coelho.

Roberto Rocha é recebido em Campestre e Estreito
Política

Encontros aconteceram nessa sexta-feira 21. Senador conversou com lideranças e a população dos dois municípios maranhenses

O senador Roberto Rocha esteve, nessa sexta-feira 21, nos municípios de Campestre e Estreito, localizados na região sul maranhense.

Em Campestre, ele foi recebido na casa do prefeito do município, Valmir Morais (PT), que abriu as portas para a população e lideranças políticas do município.

roberto-rocha-2

Ao se pronunciar, o chefe do Executivo municipal comentou que foi ao gabinete do senador, em Brasília, e que se sentia honrado em receber o parlamentar em Campestre. Na ocasião, Valmir Morais fez a entrega solene de vários ofícios solicitando obras e melhorias para o município.

Ao se dirigir a população presente, Roberto Rocha disse que veio ouvir pessoalmente o prefeito, vereadores e sindicatos para melhor atender região, e recebia com satisfação as reivindicações do gestor municipal.

Já em Estreito, o senador foi recepcionado pelo prefeito do município, Cícero Neco, o Cicin (PMDB); pelo presidente da Câmara de vereadores, Tavanes Firmo (PP); demais vereadores da cidade e a população campestrina. O senador almoçou com as lideranças locais, agricultores e pecuaristas. Em seguida, participou da solenidade de abertura de abertura do 21° aniversário da ATR Leilões.

_UD_0105

Ao se pronunciar, Roberto Rocha informou que já tinha estado em Campestre e que fez questão de estar também em Estreito para conhecer as demandas da região. Na oportunidade, informou que foi aprovado no Senado Federal o projeto que inclui a parte ocidental do Maranhão no Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), dando acesso ao crédito operado pelo banco da Amazônia. Isso significa linhas de financiamento para os pecuaristas e consequentemente mais investimentos no rebanho.

O senador maranhense esteve ainda reunido com o prefeito Cícero Neco e os vereadores locais, que apresentaram os problemas do município, e solicitaram apoio do parlamentar para projetos que irão beneficiar a cidade, para o qual obtiveram aceno positivo.

Delações da Odebrecht dão força a Roberto Rocha na corrida eleitoral
Política

Revelações e planilhas de ex-executivos da empreiteira atingiram e estraçalharam Flávio Dino. Roseana Sarney se livrou da Lava Jato, mas enfrenta outros processos por corrupção

A divulgação dos conteúdos da delação da empreiteira Odebrecht, na semana passada, atingiu e estraçalhou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), até então provável reeleito nas eleições de 2018. Como a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), embora tenha se livrado da Lava Jato, ainda enfrenta diversos processos por corrupção, o senador Roberto Rocha (PSB-MA), por enquanto, é o maior beneficiado pela hecatombe.

Depois dele, o ex-juiz maranhense e autor da Ficha Limpa, Márlon Reis (Rede), também pode se fortalecer para uma eventual disputa se desviar a mira do Senado para o Palácio dos Leões e permanecer fora do extenso grupo de políticos implicados em surrupio ou malversação de dinheiro público.

A vantagem de Rocha é que as revelações e planilhas de propina entregues pelos ex-executivos da Odebrecht contra Dino, somados aos processos em tramite no Ministério Público estadual contra Roseana, podem reforçar nos eleitores maranhenses uma forte reação aos políticos manchados pela nódoa da corrupção, como ocorreu no pleito passado.

Apesar do peso nos ombros, vale lembrar, tanto o comunista como a peemedebista ainda possuem condições políticas e eleitorais para a corrida. Contudo, agora sob o risco de serem investigados e virarem réus, a possibilidade de condenação de ambos aumenta, o que os obrigaria a também ter de reunir condições jurídicas pela conferência de possíveis votos recebidos na urna.

Longe desse tipo de desgaste em sua vida pública, Roberto Rocha possui excelente trâmite em Brasília, força eleitoral e tirocínio político que lhe garantem o porte de liderança estadual e no Congresso Nacional.

Eleito em 2014 sob o mesmo signo da mudança que levou Flávio Dino à vitória contra o clã Sarney, ele acabou se distanciando do comunista pouco tempo depois.

O rompimento se deu após a percepção de que a mudança imposta pelo governo do comunista — marcada especialmente pela extinção de programas sociais, aumento descontrolado de impostos, perseguição política, arrocho salarial e gastos milionários com publicidade e coisas supérfluas — é bem diferente da pregada por Dino durante a campanha eleitoral. O socialista, enquanto isso, segue ficha limpa, destinando emendas, defendendo a preservação dos rios, trabalhando por obras e até mesmo instalando um escritório político no Sul do estado, cumprindo a promessa de mostrar ao maranhense o que faz um senador.

Roberto Rocha: “Única preocupação com Lava Jato é onde vou lavar o meu carro”
Política

Político ter o privilégio de ficar preocupado somente com “o local onde vai lavar o carro” é um diferencial e tanto na luta política e eleitoral

Do Blog do Robert Lobato

Em meio à devastação política nacional (e estadual) causada pelas delações da Operação Lava Jato, o senador Roberto Rocha (PSB) tem dito nas suas andanças pelo interior do Maranhão que “única preocupação que tenho com Lava Jato é onde vou lavar o meu carro”.

A Operação Lava Jato, concorde-se ou não com os seus métodos, imprimiu um conceito na política brasileira que terá consequências diretas nas próxima eleições.

Não estar associado à maior força-tarefa de combate à corrupção que se tem notícia na história do país, tornou-se uma vantagem competitiva eleitoral.

Nas eleições de 2018, os eleitores estarão atentos sobre quem teve ou não o nome citado na Lava Jato.

De uma forma ou de outra, o político que estiver envolvido direta ou indiretamente nessa operação da Polícia Federal vai ficar fragilizado no embate eleitoral, uma vez que a mídia pega pesado ‘condenando’ o cara previamente junto à opinião pública.

Nesse sentido, o senador Roberto Rocha está assistindo de “camarote”, como se diz no popular, a todo esse aperreio que muitos políticos, inclusive alguns dos seus pares no Senado Federal, estão enfrentando neste momento.

No Maranhão, e é bom que se diga, de todos os mandatários de cargos majoritários apenas o senadores Roberto Rocha e João Alberto não estão com os nomes envolvidos na Lava Jato.

É justamente com esse cacife, com esse cuidado e zelo com a sua biografia, que o Roberto Rocha caminha para se consolidar como opção de um novo modelo de governança para o estado do Maranhão.

Enfim, em tempos de Operação Lava Jato, o político ter o privilégio de ficar preocupado somente com “o local onde vai lavar o carro” é um diferencial e tanto na luta política e eleitoral.

Quem tiver outras preocupações que se segure…

Roberto Rocha visita municípios que serão beneficiados com obras
Política

Senador visitou as cidades de Grajaú, Lago da Pedra, Vitória do Mearim e Conceição do Lago-Açu

Após reunir diversas lideranças políticas de todo o Maranhão na cidade de Imperatriz, durante a inauguração do seu escritório político de representação da região Sul, o senador Roberto Rocha (PSB) cumpriu uma extensa agenda por alguns municípios maranhenses. Acompanhado pelo assessor de articulação política do gabinete, Clodomir Paz, e o engenheiro paulista Clodoaldo Gomes, especialista em projetos de barragens, o parlamentar visitou as cidades de Grajaú, Lago da Pedra, Vitória do Mearim e Conceição do Lago-Açu.

O objetivo foi analisar a infraestrutura dos municípios e conhecer de perto todos os detalhes que possibilitem obras para beneficiar a regiões visitadas.

Na sexta-feira 7, o primeiro compromisso do senador foi a visita a Grajaú, precisamente ao local onde está prevista uma barragem para o Rio Grajaú, um dos mais prejudicados do Maranhão. Rocha foi recebido pelo prefeito Mercial Arruda, vereadores e o ex-prefeito Milton Gomes, além de outras lideranças de municípios vizinhos. Em seguida, na Câmara Municipal, recebeu dos vereadores um breve relato das dificuldades do município, além do reconhecimento pelo empenho em tentar viabilizar recursos federais para a construção da barragem.

“As águas do Maranhão e a qualidade de vida do povo que depende delas são umas das principais prioridades do meu mandato. Por isso, conhecer de perto realidade dos municípios é de suma importância para viabilizar os projetos”, disse o parlamentar.

VITÓRIA 3 (1)

Já no sábado 8, o senador seguiu para o município de Lago da Pedra, para conhecer o local provável da barragem no igarapé que corta a cidade, cuja instalação irá possibilitar o fim do sofrimento da população ocasionado pela falta de abastecimento d'água. Na visita, acompanharam o senador, o prefeito da cidade, Laércio Arruda, vereadores, secretários municipais, além do engenheiro Clodoaldo Gomes, que avaliou a viabilidade técnica do projeto. Está previsto o aproveitamento do espaço, para instalação de equipamentos de lazer para a população.

GRAJAÚ 2 2017-04-08 at 12.40.24

Em Vitória do Mearim, além da prefeita Dídima Coelho, da vice-prefeita Elzir Lindoso, vereadores, secretários municipais e outras lideranças políticas, centenas de pessoas prestigiaram a visita do senador e o acompanharam pelas ruas do município até a casa da prefeita. Roberto Rocha falou aos presentes sobre a liberação de recursos para obras importantes do município, como a revitalização da Praça Santa Teresinha e a construção da BR-222, no trecho que vai do povoado Tirirical, passa pelo povoado Japão e vai até o município de Conceição do Lago-Açu, interligando a BR-222 com a BR-136, no perímetro de Bacabal. Esse projeto contempla a construção da barragem para contenção das águas em Lago-Açu.

Saindo de Vitória do Mearim, Roberto Rocha sobrevoou os dois municípios e foi até Lago-Açu, onde foi recepcionado pelo prefeito Alexandre Lavepel e outras lideranças da região. Lá, reiterou o seu empenho na busca dos recursos para os projetos da estrada e da barragem, que serão a redenção para os moradores dos dois municípios.

A prefeita Dídima reconheceu ter sido importante a visita do senador Roberto Rocha: “Foi muito válida. A vinda dele trouxe esperança para o povo. Vitória está começando do zero. E o senador assegurou a atuação da Codevasf em nossa região, além da estrada que vai nos tirar do atraso”, enfatizou a gestora.

Aprovado projeto de Roberto Rocha que amplia atuação da Codevasf
Política

Senador tem destinado emendas para garantir o trabalho da companhia no Maranhão desde o seu mandato como deputado federal

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, projeto de autoria do senador Roberto Rocha (PSB-MA) que trata da ampliação da área de atuação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para todo o Maranhão.

Na ocasião, o deputado federal Hildo Rocha (PMDB-MA), relator da matéria, mencionou o empenho do socialista em prol do trabalho da companhia, no sentido de garantir inúmeros benefícios para os municípios maranhenses.

O parlamentar tem destinado emendas para garantir o trabalho da Codevasf no Maranhão desde o seu mandato como deputado federal.

As emendas parlamentares constituem uma importante fonte de financiamento das ações da Codevasf, o que reforça a necessidade da alocação desses recursos de forma a possibilitar que sua destinação coincida com os programas e projetos da Companhia, complementando os recursos alocados.

Somente em 2016, os recursos do Orçamento Geral da União destinados por emendas parlamentares para garantir as ações executadas pela 8ª Superintendência Regional da Codevasf em regiões do Maranhão, castigadas pelas estiagens, somam mais de R$ 42 milhões.

O projeto agora segue para a Comissão de Cidadania e Justiça (CCJ) para pequenos ajustes.

Roberto Rocha inaugura escritório político em Imperatriz
Política

Socialista pretende regionalizar as ações e estreitar os vínculos da população tocantina com o seu mandato

Com o objetivo de regionalizar as ações e estreitar os vínculos da população tocantina com o seu mandato, o senador Roberto Rocha (PSB) vai inaugurar, nesta quinta-feira 6, o Escritório de Representação Regional do Maranhão do Sul, na cidade de Imperatriz.

Além de aproximar a atuação parlamentar do socialista com as demandas da região, o escritório regional tem a função de mediar as ações e informações do seu mandato e difundi-las para todos os municípios maranhenses.

Segundo Roberto Rocha, a inauguração do escritório em Imperatriz é um compromisso assumido ainda em campanha.

“Esse é mais um compromisso assumido com a população, que agora será realidade”, destacou.

Para o evento estão sendo aguardadas lideranças políticas da região e de todo o estado do Maranhão, como prefeitos, deputados estaduais e federais, líderes comunitários e outros.

A Região Tocantina abrange mais de vinte municípios, sendo uma das principais potencias econômicas do estado.

Seminário mobiliza a sociedade para a preservação dos rios no Maranhão
Política

Evento foi realizado pelo Instituto Cidade Solidária e pelo gabinete do senador Roberto Rocha

Durante todo o dia dessa sexta-feira 24, o público lotou o auditório da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), em São Luís, para participar do seminário “Revitalização dos Rios Maranhenses e Suas Nascentes”, cujo objetivo foi debater e apresentar projetos para a recuperação das bacias hidrográficas do Maranhão.

O evento foi realizado pelo Instituto Cidade Solidária e pelo gabinete do senador Roberto Rocha (PSB-MA), com co-realização do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Movimento Ensinando e Aprendendo (Mea). O seminário reuniu políticos, empresários, gestores, ambientalistas, estudantes, entidades, órgãos públicos e privados, dentre outros profissionais de diversas áreas, que por meio de palestras e mesas redondas, apresentaram projetos sobre meio ambiente, e discutiram ações de responsabilidade socioambiental.

seminario-revitalizacao-dos-rios-maranhenses-e-suas-nascentes-maranhao-3

A composição da mesa durante a cerimônia de abertura, foi formada pelo senador Roberto Rocha (PSB); o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho; o deputado federal Hildo Rocha (PMDB); o deputado estadual Adriano Sarney (PV); o reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Gustavo Costa; o pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade Ceuma, Valério Monteiro; o presidente da Agência Nacional de Águas (Ana), Vicente Andreu; a presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paranaíba (Codevasf), Kênia Marcelino; o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Edilson Baldez; e o coordenador da bancada maranhense, deputado federal Juscelino Filho (DEM).

Logo pela manhã, os pronunciamentos foram iniciados pelo presidente da Fiema. Logo em seguida, a presidente da Codevasf falou sobre algumas ações que serão executadas pela companhia, como o investimento de R$ 1,5 milhão para a elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Itapecuru.

O presidente da Ana elogiou a iniciativa do seminário e destacou que a população demanda políticas mais efetivas, e que ajudem a resolver os problemas dos rios. “São iniciativas como essa que vão elevando a consciência da população”, disse.

seminario-revitalizacao-dos-rios-maranhenses-e-suas-nascentes-maranhao

Já o senador Roberto Rocha apresentou projetos e emendas para ajudar na preservação dos rios maranhenses. “Nós maranhenses temos uma riqueza hídrica fantástica, e é necessário um esforço conjunto para salvar os nossos rios, pois depois de nós maranhenses, o que temos de mais importante, são as nossas águas”, destacou.

Na oportunidade, o senador assinou, como testemunha, o manifesto de constituição do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional da Bacia do Rio Itapecuru, que teve a adesão inicial dos prefeitos das cidades de Cantanhede, Codó, Rosário, Mirador, Caxias e Itapecuru, todos presentes no evento.

Para o deputado estadual Wellington do Curso (PP), participante do evento, os cuidados dos rios maranhenses devem se iniciar com a preservação das nascentes.

“Os cuidados devem se iniciar com a preservação das nascentes, pois, são as origens dos rios que abastecem nossas casas. Aqui no Maranhão, precisamos também, dá uma atenção redobrada as nascentes e mananciais em propriedades rurais, precisamos adotar algumas medidas de proteção do solo e da vegetação, que vão desde a eliminação das práticas de queimadas até o enriquecimento das matas nativas. É isso que o Maranhão precisa, cuidado com um bem muito precioso”, disse Wellington.

wellington-do-curso-seminario-revitalizacao-dos-rios-maranhenses-e-suas-nascentes-maranhao

Atividades técnicas

Dando início às atividades técnicas do seminário, Sarney Filho palestrou sobre água, floresta, e clima na Agenda Ambiental do MMA. Ele explicou, ainda, as ações do ministério para ajudar na preservação ecológica, e destacou que o ministério está investindo em programas de recomposição de florestas e de proteção de nascentes para ajudar enfrentar a crise hídrica no Brasil.

“As mudanças climáticas estão afetando o regime de chuvas e, hoje, nós temos que pensar, não somente na qualidade das águas, mas na quantidade também”, lembrou.

As atividades do seminário se estenderam durante toda a tarde, onde diversos especialistas, mestres e doutores ligados ao tema do evento, proferiram palestras como “Segurança Hídrica das bacias Hidrográficas Para a Sustentabilidade; Base Legal e Gestão de Recursos Hídricos, Preservação e Conservação Ambiental”, além de mesas redondas para contarem as experiências exitosas de estudos e despoluição das Bacias Hidrográficas.

seminario-revitalizacao-dos-rios-maranhenses-e-suas-nascentes-maranhao-2

Durante as apresentações, houve um momento para questionamentos e sugestões dos participantes.

Para o presidente do Instituto Cidade Solidária, Marcelo Caio, o seminário conseguiu atingir o objetivo de mobilizar a sociedade para temática do meio ambiente e preservação dos rios. “A nossa proposta é levar esse evento para outras cidades e estender essa discussão para todo o estado do Maranhão”, declarou.