PGJ
PGJ pretende gastar mais de R$ 652 mil com material gráfico
Política

Foram incluídos até mesmo calendários de mesa e de parede. Pregão teve três vencedores

A Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ) pretende gastar mais de R$ 652 mil na eventual aquisição de material de consumo, do tipo gráfico. O valor é referente a revistas, livros, livretos, calendários, bloco de anotações, cartilhas, cadernos, agenda, relatórios, informativo e, estranhamente, até mouse pad.

As informações constam nos extratos de atas de registro de preço disponibilizada no Diário Eletrônico do Ministério Público do Maranhão, na última quarta-feira 14. O ATUAL7 procurou a assessoria de comunicação da PGJ-MA, e aguarda retorno. O órgão é chefiado pelo promotor Luiz Gonzaga Coelho Martins.

Segundo o documento, a contratação é resultante de um pregão eletrônico que teve como vencedoras as empresas Globalprint Editora Gráfica Ltda - EPP, RB Comunicação Visual Eireli - ME e Cidade Mais Soluções Editoriais Produtos e Serviços Especiais Eireli - ME. A assinatura é do diretor-geral da Procuradoria, Emmanuel José Peres Netto Guterres Soares. A vigência é de 12 meses.

Em tempos de sustentabilidade e apesar da crise econômica e financeira que atinge duramente todo o país, dentre os itens previstos em uma das atas há até mesmo calendários de mesa e de parede. A previsão de aquisição do primeiro material é de 3 mil unidades, e pelo menos metade dessa quantidade do segundo item.

Há, ainda, dois mil blocos de anotações, além de, para quem precisar escrever um pouco mais, três mil cadernos de anotações e pelo menos 23 mil cartilhas, divididas em 10 tipos.

As atas, segundo o extrato divulgado, correspondem a aquisição de material gráfico. Contudo, a PGJ do Maranhão incluiu a aquisição de mouse pad no mesmo processo. Serão pelo menos 1,5 mil unidades do acessório de informática.

Tudo sobre